Mude de caminho e não de emprego

Eu já disse bastante vezes aqui que precisamos mesmo mudar a nossa maneira de entender o trabalho. Eu sei, não sou uma única voz no deserto. Depois que escrevi os primeiros textos aqui, muita gente conversa comigo e diz que concorda com essa visão, mas não sabe por onde começar essa mudança. Sempre pensa que jamais conseguirá arrumar outra atividade e manter o padrão de vida que tem. Mudanças tem essas coisas, perde de um lado, mas ganha de outro.

Calma! Não estamos convidando todos para amanhã dar um pé na bunda do mundo corporativo e ir tentar um negócio, sem planejamento, sem pensar na onde quer chegar, sem considerar os próximos passos.

Por isso, resolvi oferecer algumas pistas de como você pode a cada estar mais perto de sair do seu emprego medíocre e ir em direção do que realmente lhe será um trabalho com propósito. Não, esta não é uma fórmula do trabalho perfeito. Nem, uma receita para ficar rico trabalhando poucas horas, é apenas parte de um despertamento para resgatar o desejo de se fazer o que gosta e ser remunerado com isso.

Deixe de filosofar e faça-se perguntas

Bem, por mais clichê que possa parecer, se perguntar o que seu coração chama a fazer é essencial. Repare. Não é uma pergunta filosófica, mas concreta. A maioria das pessoas tem medo toda vez que esta pergunta surge porque realmente não sabem a resposta. Descobrir isso é urgente.

 Eu acho que decidir continuar no trabalho é tão difícil quanto pegar as coisas e ir embora. E pelo mesmo motivo: Insegurança. Aprendi a me fazer as seguintes perguntas: Se eu for embora, terei paz? E se eu ficar, terei paz?Portanto, é preciso aprender que ir ou ficar na importa, o que importa mesmo é a paz. Nossa vontade é volátil demais para certezas, mas a paz tem que permanecer nas decisões. Fazer perguntas terá que ser seu novo hobbie. Responde-las, sua nova tarefa de casa.

Para se ter um novo caminho é preciso considerar:

(Se você está gostando do artigo, siga-me e não perca mais nenhum)

1) O que realmente sabe fazer?

Pode parecer idiota, mas faça uma lista de coisas que saiba fazer .Sim, quais são as suas habilidades já aprendidas? Pode ser desde traduzir a desenhar. O que realmente você faz bem? Costurar? Dirigir? Falar em público? Física? Cozinhar? Fotografar?.

Quando você sabe fazer alguma coisa,e você sabe, está ai um potencial para atividades possíveis. Aqui, não cabe simplesmente as coisas que gostaria de aprender, mas o que realmente consegue fazer. Não precisa ser um especialista no assunto, mas simplesmente enumere coisas que você realiza com sucesso.

2) Considere se essa atividade tem mercado.

Nem todas as coisas que sabemos fazer podem ser um serviço ou produto, mas com certeza deve ter alguém no mundo ganhando dinheiro fazendo isso. Estude e veja o que realmente as pessoas dessa atividade estão fazendo, quais são seus produtos e serviços. Pesquise como é o tipo de relação dessas pessoas com seus clientes. Além disso, pode tentar descobrir quais são os ramos que poderiam exigir essa atividade? Entre em contato com essas pessoas, na cara dura, e converse sobre a atividade.

3) É possível monetizar essa atividade?

Quais são as maneiras de ganhar dinheiro com essa atividade? Não precisa ser muito dinheiro, mas pesquise o quanto é possível monetizar este projeto.Porque alguém compraria o que oferece? Pergunte para as pessoas e amigos se elas comprariam algo desse tipo com vocês. A melhor maneira de saber é conversando sobre isso com pessoas do seu dia-dia. As demandas serão facilmente identificadas com conversas simples.Os talentos podem sim ser mais de uma fonte de renda ou até mesmo a principal.

4) Considere se essa atividade atinge suas “exigências” (horário livre, trabalhar em casa…)

Claro, se deseja mudar de atividade também não quer mais ter experiências que considerava horríveis na antiga profissão. Por exemplo, no meu primeiro emprego eu trabalhava sábados e domingos, e para mim, era um sacrifício danado não poder ir a uma formatura, casamento, ir a igreja, ou fazer um churrasquinho com a família ou com os amigos.

Decidi, depois que sai de lá que não queria mais trabalhar em finais de semana. Mesmo sendo Jornalista, sempre tive empregos que me deram essa possibilidade. Hoje, mais velho, talvez, eu poderia fazer alguns plantões no fim de semana sem problema.

Então a pergunta é: Quais são as necessidades que você prioriza no momento? Sua nova atividade te dé essa possibilidade? Tudo é uma questão de saber escolher o que vale a pena no momento.

5) Invista em mais capacitação

Uma mudança séria em nossas vidas custa recurso e tempo. Não pense que só porque sabe fazer alguma coisa você já domina as técnicas todas e não precisa mais estudar. Assim como você quer uma mudança em sua vida, as tarefas também mudam. Seja com entrada de novas tecnologias, técnicas e maneiras de fazer, você precisa se capacitar mais.

Minha esposa sempre costurou. Foi autodidata. Mas, só quando quis fazer de verdade um curso, aprendeu que suas técnicas funcionavam, mas que tinha maneiras melhores, mais rápidas e eficazes de costurar.

Talvez você pense que não tem mais saco e nem tempo de aprender uma coisa nova, ou entrar em uma sala de aula. Ok, mas a internet tem muito material excelente de capacitação e de compartilhamento de conhecimento. Vá atrás! Essa pode ser uma alternativa interessante para dar esse novo passo.

Não fique com dó de investir em uma nova capacitação. Aprender custa dinheiro. E se não gastar sua grana nisso, vai acabar gastando com uma coisa qualquer. Invista em você!

Mas para onde isso vai me levar?

Com o tempo, vai vendo aprendendo a discernir quais das atividades que esta fazendo que quer mesmo continuar. A ideia é abrir os leques de possibilidades e depois ir afunilando.

Por mais que exista o fantasma do “Vou mudar a essas alturas?”, isso não pode lhe impedir de sair dessa mesmice toda que condenamos. Temos que abandonar essa ideia de que ter um a carreira bem sucedida é trabalhar a mais de 20 anos com a mesma coisa.

Bem sucedido é aquele que conseguiu atingir um estado de satisfação com o que faz e ainda ganhar a vida com aquilo. Não tem a ver com quantidade de recursos, mas com a sensação de que não está desperdiçando sua vida.

Vamos começar a mudança hoje?

[Se você gostou do texto, comente e me deixe saber disso]

Acompanhe mais conteúdo por aqui

Linkedin | Facebook | Instagram | Medium |  Rock Content

NOVAS TURMAS DO CURSO DE STORYTELLING E PRODUÇÃO DE CONTEÚDO

LIVRO “MAIS DO QUE RELEVANTE, SEJA IMPORTANTE PARA SUA AUDIÊNCIA ]

RECEBA CONTEÚDOS SOBRE ESCRITA, STORYTELLING, CRIATIVIDADE