É PRECISO APRENDER SOBRE O OUTRO ANTES DE SER AMOR

Amor é louco. Se queremos realmente permanecer com alguém, temos que aprender a ler o outro. Sim, é como conhecer o trabalho de um artista e baixar todas as músicas deles, é como encontrar uma poesia e nunca mais parar de ler o autor, é como comer um prato e voltar para experimentar todos.

Conhecer mais sobre alguém não é somente saber sobre o outro, mas é entender a sua história, fazer parte dos seus sonhos, conhecer seus medos e permanecer nos seus pensamentos.

Com o tempo, aprendemos a interpretar melhor tudo sobre o outro. Sabemos se ele prefere o verão de Salvador ou o inverno do Rio Grande do Sul, se é rato de academia ou prefere um churrasco com amigos, se não abre mão do pijama ridículo ou se dorme sem roupa.

Quanto mais dura um amor, mais descobrimos se o outro chora até com inauguração de mercado ou se tem dificuldade para expressar-se completamente, se gosta de preto e branco ou prefere roxo e turquesa. Se é adepto a tatuagens mais complexas ou se tem medo da agulha.

Cada momento junto, percebemos se o outro faz questão de abraçar no meio da rua ou se é mais reservado, se gosta mais de cappuccino ou um simples pingado, se é leitor de Shakespeare, de Camões, ou não lê nem rótulo em mercado. Se gosta de Kubrick ou de Spielberg. Se é eclético popular ou apenas ouve indie bad vibes de bandas desconhecidas.

Conforme o tempo vai passando, contatamos se o outro prefere beber socialmente entre amigos ou se bebe somente uma taça de vinho no jantar, se gosta de tirar férias em Janeiro ou prefere Julho, se gosta de prato masterchef ou um sanduba de rodoviária. Se prefere Megan Fox ou Meryl Streep. Al Pacino ou Morgan Freeman.

Convivendo com o outro, ficamos sabendo se aprecia feriados em casa de moletom com filme ou piquenique no parque, se topa um mochilão em hostel ou prefere wi-fi de quarto de hotel, se gosta de Natal ou não comemorar nem aniversário, se funciona melhor durante a noite ou acorda feliz pela manhã, se não se importa em conhecer pessoas novas ou se gosta apenas da mesma patotinha, se sempre sonhou com uma chácara cheio de filhos ou um apartamento com filho único.

A verdade é que aprender mais sobre o outro é um vício que nos faz perder de vista nossa razão.

[Se você gostou do texto, comente e me deixe saber disso]

[Conheça o curso de Storytelling para vendas e marketing]

[Leia o livro “Mais do que relevante, seja importante para sua audiência ]

[Inscreva-se aqui para receber conteúdos sobre escrita, storytelling, criatividade]

Mais do autor: Linkedin | Facebook | Instagram | Medium | O cara do Blog | Rock Content