Ser um redator é mais que aprender sobre textos, mas também sobre si, bicho

O título parece elementar, mas vou alargar sua mente com uma obviedade clássica: Você só aprenderá a escrever com qualidade quando você for capaz de detectar o que é um bom texto. E ser igualmente sábio para medir a distância que você está dele.

Calma, não estou dizendo que não pode ser capaz de fazer algo realmente bom. Pelo contrário, só conseguiremos ser bons se espelharmos-nos em pessoas que estão fazendo isso com excelência e buscar um caminho semelhante. Daí, a importância da referências.

Considero escrever bem aquele que é capaz não só de consumir os melhores conteúdos, mas que consegue conhecer-se bem. Perceba que todos os bons autores são pessoas que, sem querer, acabavam vasculhando suas intenções, suas indignações, seus protestos e suas vontades. O conteúdo está ali neles.

Eleja realmente bons sites de conteúdo

Você já tem aquela lista de produtores de conteúdo que são referências? (Não? Porra, prometa que no final desta leitura você vai fazer isso, tá?). O primeiro passo para encantar leitores é descobrir como quem já faz isso faz a coisa acontecer.

Descubra pessoas que realmente estão fazendo um bom trabalho e as acompanhe. Não precisa acompanhar todos. Escolha um ou dois que sejam realmente aqueles que você gostaria de ser. Assim, será mais fácil realmente acompanhar sem aquele drama de assinar uma newsletter, começar a seguir no Instagram, ativar o sininho no Youtube e nunca ver realmente nada. É realmente acompanhar.

A coisa mais importante sobre isso é que você tem que fazer isso, mas não só pensar em você, mas também procurar o que sua audiência acha importante. Para chegar em resultados interessantes de ter um audiência fidelizada você tem que ser capaz de ver coisas invejáveis.

Para construir comunidades em volta do seu conteúdo, você precisa aprender com os melhores. Muita gente já testou muitos modos de escrever, não perca tempo tentando dar muro em ponta de faca. Quanto mais aprender mais sobre textos, mais será capaz de escrever com certa facilidade.

(Tá gostando do artigo? Aprenda agora a escrever textos engajadores)

Escolha um texto que você acha foda e decupe-o

Você já leu algo que realmente falou muito com você e quando viu já tinha dado aquela suspirado ao final? Este será o texto que você vai usar no laboratório.

Na minha barra de favoritos, existem alguns texto que salvo sempre visitá-los. Estes são considerados as minhas obras primas prediletas. São aqueles que realmente eu gostaria demais de ter escrito.

Abra este texto e comece a notar como foi que o autor começou, quais foram os elementos que ele utilizou para passar suas ideias e comece a entender quais são os principais elementos que ele corriqueiramente utiliza-se na escrita dele. Todo autor tem vícios, tons, linguagem e maneiras de expor suas ideias.

Agora é sua vez de desenvolver-se

Os meus melhores textos surgiram sempre de maneira muito espontânea. Claro que nem sempre recebemos do olimpo um insight sagrado e genial.

Não podemos esperar que um bom gancho venha pelos diretamente de algum lugar mágico pelos correios da criatividade. Um lado interessante de escrever é ter a capacidade de prescrutar o seu próprio coração na busca de ver o que exatamente está acontecendo com ele diante de um tema.

Você é mestre em criticar-se. Então aproveite isso para algo bom. Acostume-se a perguntar: No que realmente minhas escrita se destaca das demais? E o que realmente é meu problema grave?

No início, eu tinha uma dificuldade de atenção com pontuação. Sempre passava algo. Sabendo disso, hoje reviso com mais cuidado. E mesmo que passe algo despercebido, eu tenho a atenção voltada para isso. Por outro lado, sempre tive facilidade em ter empatia com personas que eu nunca fui na vida. É uma sensibilidade que me torna único. Isso é um talento característico da minha escrita. Pois bem, então se é meu ponto forte, é nisso que vou investir.

Conhecer-se é realmente o que faz o conteúdo dar certo. Quando você começa a, honestamente, olhar para si com um pouco de severidade e com muita misericordia, passa a entender mais em que lugar vale a pena investir mais e em que lugar pode colocar seu esforço.

No final, escrever é um exercício interminável de auto-conhecimento e de familiarização com seu publico. As duas coisas tem que andar junto.

[Se você gostou do texto, comente e me deixe saber disso]

[Conheça o curso de Storytelling para vendas e marketing]

[Leia o livro “Mais do que relevante, seja importante para sua audiência ]

[Inscreva-se aqui para receber conteúdos sobre escrita, storytelling, criatividade]

Mais do autor: Linkedin | Facebook | Instagram | Medium | O cara do Blog | Rock Content