Estar desempregado não te impede de agir

Este não é mais um texto sobre desemprego no nosso país que começa com desanimadores dados oficiais. Dessa vez, eu não quero dar atenção para isso. Não quer dizer que que não importante situar-se, mas acredito que precisamos ter o olhar de enxergar um momento tão delicado com a força de uma grande oportunidade.

Recebi algumas mensagens de pessoas que enfrentam este problema. Todas elas se encontram em uma situação de estar sem condição de ação, e sem saber direito como reagir a tudo isso, ficam cada vez mais desmotivadas.

A partir daí, rascunhei algumas dicas para tentar não só fazê-las ver um outro lado, mas trazer ferramentas para que elas possam atravessar a recolocação profissional.

Você não é sua mente. Sua mente não é você. Diferencie.

Isso mesmo! Ao contrário do que somos ensinados a acreditar, é preciso entender o quanto as nossas crenças a respeito de algo podem nos influenciar nas ações, decisões e resultados. Por mais que consiga apenas nesse momento ter uma auto-percepção de fracasso, é preciso entender que o que pensa sobre si pode não representar a realidade. Assim como o que está em um anúncio pode não ser o produto final. Separe aquilo que a sua mente produz e daquilo que você é (ou quer ser).

Não seja passivo. Aja mesmo sem vontade de agir.

O que faz maior diferença no ânimo de quem está passando pelo desemprego é a maneira como escolhe reagir. Tornar-se passivo acaba fazendo com que seu estado de energia decaia mais ainda e até o paralise completamente. Você pode até acreditar que é vítima do desemprego, mas a verdade é que os resultados aparecem apenas diante de esforços, então mesmo que não queira, faça o que tem que fazer para sair disso. Só você pode escolher reagir ou não.

Perder o emprego não é fracassar. Fracassar é desistir de ter vontade.

Embora pareça que seu mundo desmoronou, é preciso considerar que apenas está sem atividade no momento, e isso não quer dizer que houve fracasso absoluto da sua parte. Costumo dizer que só existe fracasso quando há desistência. Isso quer dizer, quando acreditamos que os melhores momentos das nossas vidas acabaram, aí sim desistimos. Uma perda de emprego não pode definir o resto da sua vida. Você não é um desempregado, apenas está desempregado. E isso é muito diferente.

Não deixe a perplexidade ganhar corpo na sua mente. Discipline-se.

Temos o terrível hábito de nos entregar a nossa mente. É normal estar perplexo com a nossa situação, ainda mais quando não esperávamos estar onde estamos. Agora, é possível mediar aquilo que damos importância e aprender a disciplinar-se a encontrar novas oportunidades no meio de uma crise. É péssimo essa situação toda, mas não a torne pior, pelo contrário, mantenha sua mente funcionando para planos de ação de sucesso.

Não tenha vergonha de acionar seu networking. Seja cara de pau.

Muita gente se mantém desempregada porque tem vergonha de contactar pessoas, ir a eventos, fazer uma visitas e conversar sobre oportunidades com amigos, colegas, ex-clientes e empresários do seu contato. A regra número um que precisa ser quebrada é: Coloque-se diante da sua rede de contatos. E mais: Não comporte-se como uma vítima, ninguém quer contratar vítimas, mas coloque-se sem exageros como alguém que quer ajudar verdadeiramente.

Não dependa de feedback de entrevistas para se sentir capacitado.

Muitos dizem que já distribuíram diversos currículos ou já participaram de muitas entrevistas, mas nunca obtiveram resultados. Com isso, costumamos acreditar que nunca mais vamos conseguir um novo emprego ou entramos em um senso de inadequação profundo. Acredite! As entrevistas não são realmente capazes de avaliar a competência de pessoas, elas simplesmente são maneiras não completas de dar impressões sobre alguém, por isso, se não conseguiu um emprego ao participar de um processo, tenha em mente, que isso não descredita sua competência. Não passar em uma entrevista não fala sobre suas capacidade, fala sobre preferências das empresas. E é isso que precisa melhorar.

Não seja inflexível ao analisar novas oportunidades e caminhos.

Conheço pessoas que colocam na cabeça que nasceram para determinadas funções e recusam trabalhos que consideram inferiores aos que já fez na vida por puro orgulho. Bem, talvez essa inflexibilidade esteja lhe impedindo de ver que aceitar um outro trabalho, mesmo que temporário, pode ser uma oportunidade de arrecadar novos recursos e competências. Além do mais, aprender coisas novas é sempre mais animador. Não seja radical e inflexível.

Não acredite que nasceu para uma carreira exclusiva.

Conheci pessoas que pensam que não podem fazer mais nada além do que já fizeram. Pessoas que passam anos e anos com uma função dentro de um ramo, e quando tornam-se desempregados, não aceitam submeter-se a novas profissões. É verdade que temos uma percepção sobre os nossos desejos, mas saiba que somos capazes de nos surpreender quando nos colocamos diante de novas jornadas.

Tenha predisposição ao desconhecido. Lance-se a desafios.

Este é um conceito muito interessante. Estar sempre com predisposição a fazer aquilo que nunca fez pode nos livrar de barreiras emocionais ou físicas que temos. Crescemos muito quando escolhemos não arranjar desculpas para novas oportunidades que ainda são desconhecidas. Aprender nunca é demais.

Escolher o ceticismo e render-se ao medo abaixa sua potência de agir.

Se você se coloca em uma posição de descrença total daquilo que é capaz, certamente não será capaz de realizar algo. Os efeitos da desconfiança imprimem sobre nós certos limites e nos colocam em uma condição que nos vemos sem recursos. Entregar-se a descrença é condenar-se a não ver potência em nada.

Sua experiência no currículo não é um ponto para se apoiar.

Eu sei que muita gente discorda desse ponto. É óbvio que aquilo que já fez é importante para considerar um bom trabalho, apenas o que quero dizer aqui é que não acredite que faz bem apenas o que já sabe fazer. As suas experiências podem até ter lhe ensinado truques importantes e ter o projetado profissionalmente, mas acreditar que é bom apenas em uma coisa é ignorar a capacidade de explorar novos horizontes e se descobrir. Conheço um homem que largou um emprego de gerente de seguros e hoje é cozinheiro. Portanto, não acredite que você é apenas o que seu currículo diz que é.

Procure conhecer mais sobre você. Perceba-se.

Aqui está uma chave fundamental para sair de prisões da mente. A maioria das pessoas nunca pensou realmente sobre sua vida. Nunca soube aonde quer chegar e muito menos para que caminho está indo. Basta perguntar sobre seus sonhos, sobre seus gostos, sobre suas metas e não sabem ver isso com clareza. Bem, conhecer-se o guiará para objetivos mais concretos e ficará mais fácil compreender quais são as tarefas que precisará enfrentar.Gaste tempo conhecendo-se mais do que lamentando.

Aprenda a olhar em todas as direções ao seu redor. Observe mais.

Quando estamos nos sentindo ameaçados raramente conseguimos ver o mundo com toda a sua riqueza de detalhes. No entanto, é essa característica que nos faz sair de enrascadas. Aprender a olhar para além daquilo que mais nos atinge nos faz encontrar novas maneiras de criar, inovar e inspirar-se. Pare de olhar para um ponto focal e comece a perceber mais ao seu redor. Isso te trará ideias.

Não ignore a imensidão de oportunidade fora do mundo que conhece.

Sempre que precisamos fazer um plano de contingências sob riscos, temos o hábito de apenas procurar respostas naquilo que já conhecemos. Este é um erro muito comum. É claro que deve acionar primeiramente as suas memórias mais conhecidas, e planos de ação já testados e validados, no entanto, é importante também combinar novas possibilidades para expandir mais ainda o seu campo de atuação. Procure respostas também fora da sua área de domínio e vai descobrir que o seu mundo é muito pequeno perto do mundo inteiro de possibilidades.

Use seu tempo livre para capacitar-se.

Creio que muitas pessoas não conseguem sair dessa situação porque não se importam muita com capacitar-se. Claro que isso não quer dizer apenas ter mais cursos no currículo, mas principalmente, dominar mais o conhecimento sobre alguma coisa nova. Talvez você pense que não tem dinheiro para realizar cursos, no entanto, quero te abrir os olhos para que o seu maior recurso é o tempo. Use-o. Estude coisas novas, aprenda sobre outros assuntos, realize um planejamento e seja firme consigo.

Bem, espero realmente que posso ter te tirado de um estada baixo de recursos e ter te colocado em condição de notar que é possível realizar algumas mudanças e ações que te fortalecem para essa situação. Não seja vítima da sua condição. Aprenda, invista, abra os olhos e siga em frente.

[Se você gostou do texto, comente e me deixe saber disso]

Acompanhe mais conteúdo por aqui

Linkedin | Facebook | Instagram | Medium |  Rock Content

[LEIA O LIVRO “MAIS DO QUE RELEVANTE, SEJA IMPORTANTE PARA SUA AUDIÊNCIA ]

[INSCREVA-SE AQUI PARA RECEBER CONTEÚDOS SOBRE ESCRITA, STORYTELLING, CRIATIVIDADE]